sábado, 13 de junho de 2009

Tchê Garotos no PEPSI ON STAGE em Porto Alegre RS - 27/06/09


Tchê Garotos fará um mega show no dia 27 de junho, a partir das 23hs no PEPSI ON STAGE em Porto Alegre. Será apresentada, uma enorme estrutura de som, luz e efeitos visuais como no show do DVD. Certamente é garantia de sucesso e certeza de alegria para quem gosta de dançar, cantar e suar com o melhor swing da música brasileira.
Ingressos nas lojas AMPM credenciadas: R$ 25,00 (pista, primeiro lote), R$ 40,00 (mezanino, primeiro lote) e R$ 500,00 (camarote para seis pessoas), à venda pelo site http://www.opiniaoingressos.com.br/ e nas lojas AMPM (João Wallig, 1903, Carlos Gomes, 11, Borges de Medeiros, 2205, Otto Niemeyer, 2265, e Farrapos, 361).
Local do Show Pepsi On Stage em Porto Alegre...
Pepsi On Stage é uma casa de shows e espetáculos inaugurada em 2006 e localizada em Porto Alegre. Apresenta estrutura adaptada para pessoas portadoras de deficiência e tem espaço para 7.200 pessoas. Desde sua inauguração, a casa de espetáculos sediou shows de nomes conhecidos da música, como Akon, Ben Harper, Black Eyed Peas, Caetano Veloso, Joss Stone, Maná, Matisyahu, NOFX, RBD, Seal, The Alan Parsons Project, The Doors, The Offspring, Ziggy Marley, entre outros
Endereço/ Contato
Avenida Severo Dullius, 1995
Bairro: Anchieta - Cidade Porto Alegre - RS
Telefone: (51) 3371-1948
Localização/ Como Chegar
O Pepsi On Stage localiza-se em frente ao aeroporto Salgado Filho na entrada de Porto Alegre, a 15 minutos de áreas importantes – o Centro da cidade, Bela Vista, Moinhos de Vento, Petrópolis – num ponto estratégico que permite acesso facilitado de todas as demais regiões e, também, de cidades vizinhas.
Num raio de 1 Km, encontram-se hotéis, restaurantes, pontos de Táxi e de transporte coletivo, entre os quais a Estação Aeroporto do Trensurb, o “metrô de superfície” da região metropolitana da cidade.

Estacionamento
O Pepsi On Stage disponibiliza estacionamento no local, tanto self quanto valet parking (terceirizado).

* VOCÊ NÃO PODE FICAR DE FORA DESSA!!! GARANTA JÁ SEU INGRESSO......

Deixará Saudades "UNINHO"


Depois de muitas e muitas viagens de uninho, o nosso grande companheiro e guerreiro vai nos deixar...
A Wal está trocando de carro, mas os momentos que vivemos com ele ficarão pra sempre em nossos corações. O uno não era apenas um carro. Era o Uno!!! Éramos conhecidas já como “as gurias do uno”... O pessoal do TG já dizia: Cadê as gurias do uno?
Vamos sentir muita saudade dele, foi um guerreiro, fez grandes aventuras conosco! O valor emocional que ele tem é com certeza bem maior que o valor real, mas, infelizmente, agora ele vai ter novas aventuras com seu novo dono e esperamos que ele continue alegrando a todos como nos alegrava.

Valeu uninho!!! Você foi um grande amigo!!! Um grande guerreiro!!! E muito econômico... Nunca nos deixou na mão...

E quem vai de uno, vamo??? Agora acabou o nosso bordão... Buáááá´...


P.S: Não perdia para o busão do TG, nem para um Punto ai...hehehe!!!

Carlão...


Quαndo α ρessoα tem mtos defeitos
α gente enche α bocα ρrα fαlαr {!}
α gente fαlα ε nuncα αcαbα {!}
Mαs quαndo α ρessoα tem mtαs
quαlidαdes e é umα ρessoα que
vc considerα mto. Vc ficα sem
ραlαvrαs , ρorque nenhumα ραlαvrα
Dεscreve o quαnto, adoramos vc :)~
e vc sαbe que semρre que ρrecisαr
ρode contαr com a gente ! ()~

P.S: Mto obrigada por tdo...Vc é d+!!!

Lages SC - 07/06/09


Que dificuldade de conseguir o quinto elemento hein? Depois de muito sufoco, no sábado as 11 horas da noite, conseguimos a Marcelle. Então foram Aline, Wal, Cris, Josi e Marcelle. Todo mundo havia nos avisado que era pra ir bem agasalhada porque lá é muuuuito frio e levamos até cobertores para a viagem de volta. Saímos de Gravataí quase 11 horas da manhã e a viagem foi divertida. Muitas curvas, muitas muitas curvas, mas muitas muitas e muitas curvas mesmo!!! Chegamos em Lages por volta das 16:30. Fomos logo tentar descobrir onde comprava o ingresso pra área vip. Depois fomos comer alguma coisa e optamos por pizza. Fomos direto para a área vip e nos plantamos em frente ao palco do lado esquerdo. Encontramos lá a Flavinha, membro do Vamos Fazer Festa que ficou ao nosso lado o show todo. O show não demorou muito a começar e começamos a nos mexer e até deu coragem de tirar os casacos. O Fê ficou todo bobo quando nos viu lá e o Sandro também. Apesar de o lugar ser aberto, o sereno caindo na cabeça e um frio de reguear cusco, o show foi perfeito. Estávamos ”nos sentindo” na área vip. Pulamos, gritamos e cantamos como umas loucas. Depois fomos pra lateral pra entrar no camarim e estava uma confusão só. Uma galera querendo entrar e os seguranças dizendo que só entrariam 30 pessoas. Deixaram uma galera de um fã-clube entrar e os outros ficaram por ali. O pessoal que entrou logo saiu. De repente um segurança veio de lá chamando as gurias de Porto Alegre e umas loucas lá disseram que eram elas e entraram no nosso lugar, afff, ninguém merece... Já estava dando ataque de claustrofobia ali de tanta gente amontoada. A Aline até fez amizade com uma moça por lá. Falamos com os seguranças e eles não acreditavam que éramos de POA, até que veio o Tiozinho lá de dentro e confirmou pra eles. Estava menos de 7° C lá. Depois disso conseguimos entrar para a parte coberta e ficamos aguardando o pessoal sair do camarim para entrar. O Sandro ia fazer uma participação no DVD do “Só Modão” e estava por ali louco de frio. Sentou ali pertinho da gente pra se esquentar, hehe, e nós nem gostamos...Entramos no camarim, conversamos com todos e ficamos depois por ali. Acompanhamos a participação do Sandro pelo monitor e ainda conversamos bastante com os guris. A Aline e a Wal passaram por dois momentos, um melhor que o outro, que é melhor nem entrar em detalhes, que bola!!! Os guris estavam preocupados com a nossa volta e disseram pra tomarmos muito cuidado. Depois que nos despedimos fomos comer morango com chantilly e tomar chocolate quente. Era a festa do pinhão, mas pinhão que é bom... não achamos, kkkk. Voltamos pra casa bem faceiras. Vimos uma lebre e a Aline jura que viu um veado, kkkk.Depois de curvas e mais curvas chegamos em casa sãs e salvas eram quase 5 horas da manhã e, pra variar, a Wal e a Josi tinham que trabalhar e a Marcelle também, mas não dá nada. Pelo TG tudo vale a pena!!!
Esse texto vai especialmente ao Sandro e ao Fê...

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Torres RS - 31/05/09


Foram no CTG Querência das Torres: Aline, Josi, Cris, Wal e Leny. Essa viagem foi cruel... A Leny businando nos ouvidos da Wal o tempo todo pra não correr. Estava garoando e a visibilidade estava bem ruim. A Josi me saiu com uma tal de “ramela” no olho que estava incomodando que gerou muitos risos. No pedágio em Santo Antônio, quando olhamos para o carro de trás, quem estava? Markynhos e Tiozinho, foi a cena do ano. Depois ainda nos ultrapassaram e deram uma businadinha básica, hehe. Fomos via BR 101 e a estrada estava cruel. Chegamos lá e o frio era de cortar... Entramos e fomos para o nosso “bat-local”. Tinha uma peregrina cuidando a pessoinha e já ficamos de cara. Queríamos dar um bico numa latinha pra voar na testa dela, mas não deu certo, affff. Fomos para o camarim e a peregrina tava lá, ui que ódio... Mas as atenções foram todas pra nós, ficamos lá um tempão. Pra sair do camarim, os músicos tinham que pular uma janela, era muito engraçado... O Sagui pulou e a Cris ficou de joelhos numa caixa conversando com ele... Essa vai pra história: Cris de joelhos pelo Sagui!!! Depois o Fê pulou também e daí fomos embora. A viagem de volta foi mais tranqüila porque voltamos pela estrada do mar que era bem mais sinalizada. Chegamos em casa 4:30 da madruga e a Josi e a Wal ainda tinham que ir trabalhar na segunda feira... Mas foram bem faceiras!!!

Esse texto vai para o Sagui na janelinha, ao Fê, Léo e Markynhos pelo carinho, nunca esquecendo do Carlão, nosso grande amigo que está sempre lembrando de nós.

Sapiranga RS - 30/05/09


Sapiranga, pela primeira vez, nossa van deu certo!!! Foram Cris, Sá, Dany, Josi, Júh e Wal do Vamos Fazer Festa; Aline, Camila, Carol, Renata e Téia, do Tchê Aprochega, e ainda a Lili, Tássia e a amiga da prima da Dany. Chegando lá nos encontramos com Talita e Ariane, também do Vamos Fazer Festa!
O show foi perfeito e nos divertimos muuuuuuuito. Fazia tempo que não nos reuníamos num grupo tão grande como aquele dia. O Sandro ganhou um pacote de mirabel; que o rapaz havia ficado o show todo segurando o pacote na mão, só para lhe entregar kkkk. Depois o mesmo passou um tempão seguindo o Tiozinho, parecia um “sombra”. No final ainda conseguimos falar com o Fê, Gyl, Wellington e Viny. A Aline e a Wal pareciam duas crianças brigando pela pessoinha aquela, hehe. A Aline se enfiou em todas as fotos com o Fê, detalhe, TODASSSSS; segundo ela, ele que chamou, ta bom... nós até vimos... mas não vamos confirmar, kkkkkkk. (Wal diz: eu nego até a morte!!!)
A viagem de volta foi tranquila, o motora da van se perdeu na entrada para Gravataí e foi parar em Canoas, kkkk. Andamos praticamente todo percurso a 20km/h.... 50 no máximo... Chegamos em casa quase 6 horas da manhã, mas foi tudo perfeito.
Essa vai especialmente ao Carlão que nunca se esquece da gente e ao Fê que nos esperou e deu toda atenção de sempre.

Três Coroas RS - 03/05/09


Foram para Três Coroas no dia 03 de maio de 2009 de uno: Aline, Cris, Josi e Wal. Lá encontramos a Déia e a Rose. A viagem de ida para quem foi de uno foi tranquila, mas as meninas que foram de moto levaram um tombo que se arranharam todas, mas assim mesmo, levantaram e foram para o show. Era no Três Coroas em festa e tinham entre várias atrações alguns palhaços por lá, e nem vou dizer quem ficou com medo dos palhaços néh? Hehehe. O show foi num ginásio e lá dentro nos separamos... Aline, Josi, Rose e Déia ficaram na arquibancada do lado direito do palco e Cris e Wal ficaram na pista bem em frente ao palco do lado esquerdo. O show foi perfeito como sempre e estávamos com muita saudade de todos. Teve uma participação mais do que especial do Théo e do Yago que arrasaram no palco ao lado dos papys. O Carroça ficou o tempo todo pra lá e pra cá dividindo as atenções. O Lucas não quis dar chimarrão pra nós, mas está perdoado, hehe. Depois do show levamos um susto achando que os meninos não atenderiam no camarim, mas foi alarme falso. Eles receberam todos os fã-clubes com todo carinho de sempre. Ficamos por último e quando entramos no camarim ganhamos um abraço tão gostoso de cada um dos meninos que foi inesquecível. Algumas pessoas acham que, só porque vamos com uma certa frequência nos shows, não damos mais tanta importância a momentos como esse. Mas cada show pra nós é emocionante, cada abraço é uma conquista e cada palavra de carinho fica registrada pra sempre em nossa memória e em nossos corações. Só podemos afirmar que, a cada dia que passa, o contato fica mais restrito e carinho maior e o amor então, só tende a crescer e crescer e crescer... Em alguns momentos a emoção é tão grande e o coração bate tão forte que parece que vai explodir. São momentos assim que fazem tudo valer a pena e provam que estar ao lado do TG por um minuto que seja, não há dinheiro no mundo que pague.
Ficamos no camarim um bom tempo de papo com os guris e depois do lado de fora trovando com o pessoal da produção e com o Fê. Teve até um acidente com uma taça de vinho que se espatifou de susto, kkkk.
Depois nos despedimos e voltamos pra casa felizes e realizadas como sempre.

Essa vai dedicada ao Tiago que nos deixou de castigo, ao Lucas que não nos deu chima e ao Fê que nos deu toda atenção e ao Tiozinho que bateu a porta do camarim na nossa cara, kkkkkk.

domingo, 10 de maio de 2009

Garopaba SC - 11/04/09


O show do TG em Garopaba foi na sexta-feira santa no Mistério Café.
A princípio, iriam Josi , Aline e Wal, e a intenção era ir em Garopaba na sexta e no festival em Florianópolis, no sábado. Mas infelizmente, na quarta-feira, recebemos a notícia de que o festival tinha sido transferido para outubro. Com isso a Josi desistiu de ir. A Aline e a Wal já tinham combinado tudo com a Pri, que viria de Curitiba, sozinha, encontrá-las em Garopaba e foram igual.
Saímos de Gravataí por volta das 14 horas. Não acreditávamos que estávamos indo só em duas para SC. Mais uma loucura daquelas... Pra não perder o hábito, nossas mães não gostaram nadinha da idéia de irmos só em duas, pois acham muito perigoso, ainda mais que era feriado de Páscoa.
Mas somos maior de idade, vacinadas e independentes e nossas mães já acostumaram que, em matéria de TG , não há nada que elas possam fazer ou dizer que vá nos segurar.
Logo que pegamos a estrada, as catarinas Mily e Pimenta nos ligaram pedindo para que fossemos buscá-las em Santo Amaro da Imperatriz e nos convidaram para depois do show ficarmos na casa delas na Praia do Sonho. Nossa intenção era pegar a Pri na rodoviária antes de ir a Santo Amaro. Estávamos super preocupadas com a Pri, afinal, ela estava vindo na cara e na coragem, de ônibus, sem conhecer nada sem sequer nos conhecer pessoalmente. Só nos falávamos por MSN e ORKUT até então. Mas quando passamos por Garopaba, o ônibus da Pri ainda estava em Itajaí, então decidimos ir buscar as meninas primeiro.
Chegamos em Santo Amaro por volta das 21 horas. Aproveitamos para trocar de roupa e fazer maquiagem rapidinho e já voltamos para Garopaba. Logo que saímos recebemos um torpedo da Pri dizendo que já estava nos esperando na rodoviária. Chegamos lá pra pega-la por volta das 23 horas e ela já estava apavorada porque não tinha ninguém no local e estava para fechar. Nos conhecemos e foi afinidade a primeira vista.
Saindo da rodoviária, quase nos perdemos, mas logo nos coordenamos na rua certa.
Chegamos ao Mistério Café e logo encontramos o Carlão, que veio todo feliz nos cumprimentar. Guardamos o carro no estacionamento e entramos. Já conhecíamos a casa, lá é muito legal. Os guris da produção chegaram e ficaram ali conosco até a hora do show. Tinha outra banda que abriu o show. Nos divertimos muito por ali até começar o show. Ficamos bem na frente na segunda fila e a Pri ficou na corda. O show começou, os guris nos cumprimentaram e o show foi maravilhoso, como sempre. A Aline ganhou um ataque e começou a gritar pro Fê... Preferimos não comentar... No final do show fomos ao camarim. O Fê e o Léo já tinham ido embora, mas os outros músicos estavam por ali. Entramos e ficamos de papo com eles. Os seguranças até quiseram mandar nós nos retirarmos, mas disseram que nós podíamos ficar. Alguns músicos se retiraram e os guris da produção vieram para o camarim. Ficamos por ali com o, Rodrigo, Tiago, Sagüi e Wellington e nem vimos o tempo passar. Estava muito divertido... Quando nos demos conta já eram 6 horas da manhã. Nos despedimos e fomos para a Praia do Sonho. A Pri resolveu vir para o Rio Grande do Sul. Queria conhecer a Cris e a Sá e também o nosso estado. Fomos dormir ás 8 com intenção de acordar as 10 e pegar a estrada. O despertador tocou, levantamos, nos arrumamos, carregamos o carro... Mas o pai das catarinas não nos deixou sair.
Queria que nós almoçássemos lá a todo o custo. Não queríamos porque a nossa intenção era chegar logo pra apresentar o RS pra Pri, mas tivemos que ficar. Saímos de lá por volta das 14 horas. A viagem foi divertida, mas parecia que não chegávamos nunca. Chegamos à casa da Wal por volta das 20 horas e a Cris já estava nos esperando com o café na mesa.
Estávamos muito cansadas, mas mesmo assim resolvemos sair à noite e levar a Pri pra conhecer o Farrapos. Foi punk, o cansaço estava quase nos vencendo, a única que estava bem disposta era a Sá. Mas ainda assim, resistimos até as 4 da madrugada. A Pri se divertiu, achou muito engraçado o pessoal dançando maxixe e os guris jogando as gurias pra cima e fazendo giros. Ela disse que la no Paraná , o pessoal não dança assim, que é bem diferente.
Fomos para casa descansar e no domingo por volta das 13 horas já estávamos prontas pra mais um passeio por Porto Alegre, Levamos a Pri pra conhecer o aeroporto, tirar foto no Laçador e andar de trem. Fomos na rodoviária comprar a passagem dela e voltamos de trem para o aeroporto. Isso já eram 19 horas e o ônibus dela era as 20:45hs. Ainda fomos visitar um amigo muito querido lá na zona sul e depois voltamos para a rodoviária pra deixá-la. Chegamos no box em cima da hora. Os passageiros já estavam embarcando. Nos despedimos e ficou a promessa de uma nova visita da Pri ao RS, afinal, não conseguimos levá-la na redenção, no gasômetro e em Gramado. Mas na próxima vamos.
Dedicamos esse post a Pri e deixamos aqui registrado o quanto adoramos ti conhecer e tua visita ao nosso Rio Grande do Sul. Sempre que quiser vir pra cá, estaremos de braços abertos esperando por ti!!! Admiramos tua coragem em se aventurar dessa forma sozinha. Não teríamos essa coragem. hehehe

domingo, 29 de março de 2009

Tristeza X Alegria


Que findi hein gurias? Que sensação estranha que nossos corações estão vivendo. São sentimentos confusos, uma mistura de tristeza e alegria, de orgulho e de perda, de felicidade e de saudade...
No fundo acho que sabíamos que isso mais cedo ou mais tarde aconteceria, mas não estávamos preparadas pra tão cedo... Até porque, por mais que soubéssemos, por mais que estivéssemos avisadas de que isso aconteceria, a dor da saudade é incontrolável.
Entrar no site do Tchê Garotos hoje, nos deixou super felizes e orgulhosas por ver o Villa Country lotado e nossos amores fazendo o maior sucesso no palco. Em compensação, ficou muito claro que eles agora não são mais nossos, não são mais do Rio Grande do Sul... são do Brasil!!! Claro que estamos orgulhosas, é maravilhoso ver os nossos meninos que começaram aqui, batalharam sempre, muitas vezes enfrentaram problemas e dificuldades e hoje estão conseguindo realizar sonho de ser sucesso nacional.
Mas ao mesmo tempo a sensação de perda é cruel... Em pensar que alguns meses atrás, chegávamos a ir em 2, 3, 4 ou até mais shows aqui no sul em uma semana. Em pensar que chegamos a ir em 2 shows na mesma noite, e que agora rezamos pra pelo menos vê-los uma vez por mês.
É incrível... vamos em outros bailes sim, até porque não vamos viver trancadas dentro de casa néh? Somos jovens e temos que nos divertir... Mas quando outra banda puxa qualquer música do TG a sensação é muito estranha, os olhos embargam e a saudade dói mais ainda... Mas fazer o que néh? É a vida... Tem um ditado que diz que criamos os filhos para o mundo, não pra nós... Com o TG é a mesma coisa... Torcemos pelo sucesso deles no Brasil inteiro, não só aqui pra gente...
Não vai ser fácil, cada dia que passa, a saudade aumenta e o coração dói mais... Mas estaremos aqui, sempre torcendo e rezando por eles. Somos tachadas por nossas mães, nossas famílias e nossos amigos de loucas, doentes e coisas do gênero... Somos loucas sim, loucas de amor por esses meninos maravilhosos, e só temos a agradecer a Deus e a eles por cada momento, cada minuto, cada segundo de felicidade que passamos ao lado deles.

Meninos, aconteça o que acontecer nunca esqueçam de nós, pois nós nunca esqueceremos de vocês!!!
Vocês são os grandes amores das nossas vidas!!!

segunda-feira, 23 de março de 2009

Constantina RS - 22/03/2009


Esse, com certeza, foi a maior loucura dos últimos tempos... Tudo começou com um telefonema da Wal para a Aline por volta das 14 horas da tarde pra convidá-la para um chimarrão na Redenção em Porto Alegre. A Sá já estava a caminho pra casa da Wal prontinha pra ir pro parque e a Aline não estava podendo ir porque suas sobrinhas estavam visitando e sua mamys estava muito brava nesse dia. Por volta das 16 horas a Wal voltou a ligar pra Aline pra ver se havia mudado de idéia e ela disse que não e fez um comentário: “ai, bem que Constantina poderia ser pertinho como Harmonia e nós poderíamos ir néh?” Daí bateu um desespero em todas... TchÊ Garotos fazendo show no Rio Grande do Sul e nós em casa? Não, isso não podia acontecer. A Wal entrou no Google e descobriu onde era a tal de Constantina. Dessa vez era a 370 km de casa, em torno de 5 horas e meia de viagem. A Wal convenceu a mamys dela que também estava uma fera a emprestar o cartão pra abastecermos prá-datado e ligou pro Carlão pra ver a hora do show dos guris e ele disse que seria as 22hs. A Wal ligou pra Cris que se arrumou voando e pegou um ônibus pra encontrar o resto da turma na Scharlau e a mãe dela também ficou uma fera... A Aline também comprou a briga com a mãe e foi. A Sá que já estava na Wal deu um telefonema pra mamys dela que só disse “ tudo bem, tá bom então”. Não adianta, a Mara é M A R A !!!

Em menos de 20 minutos já estávamos a caminho de Constantina numa corrida contra o tempo... Eram quase 18 horas quando pegamos a Cris na Scharlau. O tempo era curto, a estrada era longa e a vontade de ver o TG era maior do que nunca, pois sabemos que tão cedo não terá outro show aqui por perto... Os nossos corações estavam irradiando alegria pois não esperávamos ir nesse show. Era uma mistura de sentimentos inexplicáveis. Era uma vontade de rir e de chorar ao mesmo tempo...

A viagem foi super hiper mega ultra punk... Curvas e mais curvas, a 100, 100, 120 km/h. A pior parte foi num trecho onde passamos por vários caminhões enfileirados e vinha um na contra-mão tentando ultrapassar os demais que quase colidiu de frente conosco. A sorte foi que tinha acostamento e era muito bom, pois a Wal teve que tirar o carro da pista a uns 80km/h. Mas graças a Deus deu tudo certo, pois o nosso anjinho está sempre viajando conosco e nos protegendo. A Sá ficou em estado de choque depois do ocorrido por mais ou menos meia hora.

No pedágio de Soledade pedimos informação e ninguém sabia onde era a cidade... Começou a bater um pavorzão... Pra piorar, o Tiozinho ligou querendo saber se já tínhamos chegado e não tínhamos nem noção se já estávamos no meio do caminho ou não. Ligamos pro Jonas que nos orientou e seguimos as dicas dele. Depois de andar muito, muito, muito, muito e muitooooooooooo, finalmente encontramos a placa de entrada da cidade escrito CONSTANTINA. Foi uma gritaria só. Entramos na placa e parecia que assim mesmo a cidade não chegava nunca. Chegamos próximo ao centro e pedimos informação. Claro que nos perdemos e tivemos que perguntar de novo, até que achamos. Chegamos lá apavoradas, pois já era 22:45hs, mas o show ainda não tinha começado. Pelo que vimos, era aniversário da rádio local e foram várias bandas tocando durante toda a tarde e noite. Era um ginásio bem grande e estava lotado. Falamos com o Rodrigo e logo entramos. O Fezinho fez o maior sucesso lá, todo mundo queria pegá-lo, foi divertido. Ele até trabalhou com o Carroça vendendo CDs, DVDs e camisetas. O show começou e estávamos bem próximas ao palco e logo os guris nos viram e ficaram espantados, mas isso já é normal. Fizemos a festa por ali e depois fomos mais pra trás com o Tiozinho. O Sandro agradeceu a presença dos fã-clubes Tchê Aprochega e Vamos Fazer Festa e disse pra tomarmos muito cuidado na volta. O show foi perfeito e o camarim também. Os guris super atenciosos e animados. O Marquinhus queria que nós fossemos pra São Paulo e levasse pelo menos umas 300 pessoas, hehe. O Sagüi também estava botando pilha. O Sandro estava falando dos próximos shows em São Paulo e do show do Villa Country... Foram bons momentos ali de papo com todos eles. Perguntaram se iríamos fazer o mesmo esquema de sempre, voltar pra casa seguindo o buzão, e dissemos que sim. Logo os guris terminaram de carregar os equipamentos e seguimos viagem. Na primeira parada num posto de gasolina alguns desceram e ficaram de papo conosco novamente. Contamos pra eles que a programação para o domingo era chimarrão na Redenção e se transformou em TG em Constantina e eles não acreditavam, hehe. Seguimos atrás do buzão, mas agora não mais com 4 e sim com 5 pessoas no uno... O percurso foi super divertido, cantamos, conversamos e rimos muito. Nossa visita foi um amor, até nos ajudou pagando um pedágio.Teve alguns momentos de nostalgia e saudade antecipada já por algo que vai acontecer em breve, mas fora isso, foi tudo perfeito. A Wal deve ter dito umas cinquenta mil vezes o bordão “gente, eu vi o Fê”, mas fomos pacientes com ela, hehehe. Por volta das 7:30 da manhã fizemos a última parada num posto e o nosso ilustre visitante voltou para o buzão. Ainda vimos em Canoas descendo do buzão o Sagüi, Viny, Wellington, Drigo, Tiago, Carroça e Ronaldinho... A Cris também desceu em Canoas e seguimos rumo a Gravataí. A Wal passou reto pela rua da Aline, hehe, e deixou ela na esquina, depois ainda deixou a Sá e foi pra casa.

Mais uma aventura concluída com sucesso apesar de tudo... Do susto na estrada, do horário apertado, da distância... Nada nos abalou. Tomara que possamos revê-los em breve pois não vamos aguentar muito tempo a saudade...
Essa nossa aventura vai ser dedicada a Deus e aos nossos anjinhos da guarda por nos protegerem e também ao nosso amado amigo Tumtum1000.

Santa Maria - 20/03/2009


Foram para Santa Maria: Fran, Cris, Sá, Aline e Wal. Saímos de casa por volta das 16 horas e pegamos a estrada. Eram aproximadamente 340 km, o que nos rendeu 5 horas de viagem. Mas tudo tranquilo, exceto o episódio do cone (barreira plástica) que tinha bem num posto da polícia rodoviária e a Wal atropelou, hehe, segundo ela o motivo foi o sol que estava numa altura que ninguém enxergava nada. Bem próximo de Santa Maria, segundo a Cris pegamos uma rua ruim, hehe (traduzindo: estrada esburacada).
Santa Maria é uma cidade muito grande, e claro que não podíamos perder o hábito de nos perdermos, aff. Após muitos pedidos de informações encontramos o local e estacionamos atrás do buzão do TG. Descemos do carro e vimos as meninas do fã-clube É problema meu. Em seguida chegou uma van que parou do lado do uno, uma janelinha se abriu e começaram a gritar... eram os músicos que desceram e vieram nos cumprimentar com muito carinho, como sempre. Logo eles entraram no clube e nós pegamos nossas coisas e fomos a procura de um banheiro pra trocar de roupa e fazer maquiagem. Usamos o banheiro do próprio Comercial. Aconteceram dois episódios hilários nesse banheiro, um envolvendo a Sá e a Aline e o outro envolvendo a Wal, mas é melhor não comentarmos...

Saímos do clube e fomos guardar as coisas no carro e dar uma volta na praça, compramos uns picolés e ficamos sentadas num banquinho por ali. Por volta das 23 horas entramos. O clube era muito abafado, não tinha nenhuma janelinha sequer e os ventiladores de parede eram poucos e não davam conta de ventilar o ambiente que estava lotado.

Dançamos, cantamos, gritamos e fizemos a festa com os nossos amigos da produção antes do show começar. Foi muito divertido... O show começou e os guris arrasaram no palco mesmo com todo calor que estavam sentindo. Até o Léo estava pingando suor. O Sagüi e o Sandro terminaram o show, literalmente encharcados e o Fê até se sentiu mal de tanto calor.

O show acabou, nos despedimos dos guris da produção e saímos do clube. Tivemos ainda a atenção e o carinho muito especial dos nossos amores, tinha até alguém disposto a emprestar o helicóptero pra nós, não fosse o fato de ter quebrado uma pá (traduzindo: pá= hélice).

Voltamos pra casa, após algumas recomendações pra tomar cuidado com a estrada e graças ao nosso GPS humano que nos explicou direitinho como sair da cidade. Foi tudo lindo, tudo maravilhoso, tudo com gostinho de quero mais.

A volta foi cansativa, todas estavam com sono e a Wal até deu um susto em nós pois deu uma piscadinha maior do que devia, mas chegamos sãs e salvas como sempre.


Dedicamos esse episódio ao Sagüi, Fê e Sandro que foram super atenciosos conosco e principalmente ao Tiozinho, pois sem ele, a noite não teria sido perfeita. Tiozinho tu é o nosso anjinho da guarda. Te amamos!!!

domingo, 15 de março de 2009

Santa Cruz do Sul – 14/03/2009


Meu Deus, que sufoco... Todo mundo sem dinheiro a semana toda. Conversávamos entre nós e não achávamos solução alguma para conseguir ir a Santa Cruz do Sul. A semana foi passando e a esperança diminuindo cada dia mais. Simplesmente não tinha mais volta, No sábado, as 14 horas da tarde a Wal surtou, implorou um vale na mamys dela e as miadas surtiram efeito. Foi uma correria só, Cris liga pra Dany, liga pra Sá, liga pra Fran, avisa a Jú que nós vamos, afffff... que loucura. Com tudo isso conseguimos partir em direção a Santa Cruz com o coração apertadinho de tanta felicidade por algo que já tínhamos praticamente desistido.

A viagem foi tranquila, menos de duas horas de casa. Chegamos na Academia Inside e logo entramos. A primeira pessoa que vimos foi o Tiago que logo veio nos abraçar, depois o Carlão e o Rodrigo. O Lucas, Cabelo, Carroça e Ronaldo estavam trabalhando em cima do palco e os cumprimentamos de longe. Eram 20 horas quando saímos de dentro da Academia Inside e fomos até o carro colocar as camisetas novas e esperar a Jú que logo chegou acompanhada de seu primo Ramon. Era tão bonitinho ver o nervosismo e a ansiedade dela de estar pertinho dos guris do T.G. É muito legal ver essa emoção nas meninas que estão chegando no fã-clube. Mesmo nós que já temos anos de estrada de T.G. na veia e já somos conhecidas por nome por eles, às vezes ainda sentimos um friozinho na barriga quando a saudade está grande demais, imagina ela que nunca tinha chegado perto.

Os portões se abriram e logo entramos. Conseguimos nos posicionar bem na frente do palco, claro que na frente do Viny e do Fê, como sempre. Não teve outra banda nessa noite, apenas D.J. antes e depois. Ficamos ali aguardando o início do show. Quando as cortinas se abriram o coração bateu muito forte, não sabemos se pelo fato de estarmos ali depois de muito sufoco e sofrimento a semana toda ou se era de saudade mesmo, mas a emoção foi forte. Os guris estavam todos lindos como sempre, brincaram, interagiram conosco e nos deixaram super felizes, com aquele sorriso de orelha a orelha que chega a adormecer as bochechas, hehe. O Tiozinho então, quase nos matou de rir durante o show com aquele “sorriso colgate”, hehehe, que bola.

O show acabou e fomos para os fundos da Academia, onde estava o ônibus da banda. Logo os músicos começaram a sair e vieram nos cumprimentar com todo o carinho de sempre. O Viny atencioso e meigo como sempre, o Léo todo alegre, o Sagüi todo tímido, porque será néh Cris? Será porque a Wal contou algo pra ele? Ahsuahushauhsua. O Gyl estava com a corda toda conversando conosco. O Fê então, agora ta podre de chique, segundo ele estava de helicóptero e agora mora em Miami, hehe. Nunca vi, não dá pra falar sério com essa pessoinha... É uma figurinha, muito querido, atencioso e brincalhão, não é a toa que é o nosso dindo amado!!! Ah, o tal integrante, lembram dele? O Sandro!!! Estava igual a todos os shows, sorrindo, de bom humor, distribuindo beijos e atenções a todos que estavam a sua volta. Ainda mais agora néh, que a fama subiu a cabeça dele, como dizem por aí, ele se presta a ficar todo o tempo do mundo dando atenção para as suas fãs e o Fê, tadinho, até perdeu a carona com o Wellington pra ficar de papo. Mas esses são os nossos amores de sempre, continuam os mesmos meninos. Seja em Santa Cruz, Santa Catarina, Imbé, Caxias... seja onde for, eles são sempre os mesmos e nossa opinião não muda nunca a respeito deles, até porque o nosso amor não depende das atitudes deles e sim das nossas.

Não sabemos bem que tipo de sentimento manter por pessoas sem personalidade e sem opinião formada. Não sabemos se nojo, por na frente dos guris ficarem pedindo beijos e fotos e puxando o saco e, por trás só saberem abrir a boca pra falar besteira, ou se pena, pois a imaturidade ali é muito grande. Mas isso, pra nós é o que menos importa... Os guris são pessoas bem informadas, sabem de tudo que acontece por aí, ao contrário do que muitos pensam. Eles nos conhecem e sabem o que representam pra nós e isso basta.

Bom, o show de Santa Cruz do Sul valeu pela estréia das novas camisetas que foram super elogiadas por todos e pela presença da Jú e da Fran que tiveram a oportunidade de conhecer os guris de pertinho. No mais, tudo foi lindo e perfeito como sempre.

A viagem de volta foi tranquila e segura e o domingo fechamos com chave de ouro, mas esse episódio no blog? Hehe.. Nem pensar!!!

Dedicamos esse nosso texto ao Tiozinho, nosso grande amigo que amamos muito, ao Tiago e Lucas pela atenção, ao Viny e ao Fê pelo carinho e ao Sandrinho pela paciência, porque esse merece...

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

s2...28/02/09


Não temos palavras pra definir o sentimento que temos por essa banda maravilhosa. Eles são muito especiais e já fazem parte das nossas vidas. Infelizmente, por motivos óbvios, como distância dos shows, trabalho e falta de $$$ não podemos acompanhá-los sempre. Mas, quando existe essa possibilidade, procuramos fazer de tudo, movemos céus e terras... Muitas vezes estamos apertadas, sem $$$ e damos sempre um jeitinho, fazendo artesanato, dando aulas extras, alguns táxi-dogs... tudo ajuda. Tudo vale a pena para ficarmos pertinho deles.
Gostamos sempre de ressaltar nosso amor, carinho, admiração e respeito por todos os meninos que compõe o Tchê Garotos. Ao contrário do que muitos dizem, ou melhor, fazem por aí, Tchê Garotos não é sinônimo de Sandro Coelho. Claro que isso não significa que ele não seja importante... ao contrário, é sim, e muito... Mas é tão importante quanto todos os outros músicos da banda e quanto todos os meninos da produção. Está pra nascer alguém nesse mundo que tenha um sorriso mais sincero e gostoso que o Sandrinho, alguém que tenha o abraço mais aconchegante que o Léo, alguém que seja mais atencioso que o Markynhos e que sempre depois de um abraço deixa o perfume na gente, alguém que seja tão verdadeiro quanto o Fê, alguém com a tranqüilidade que o Sagüi passa, alguém que esteja sempre sorrindo como o Gyl, alguém que consiga ao mesmo tempo ser tímido e a simpatia em pessoa como o Viny, alguém sempre cheiroso e simpático como o Wellington. Essas pessoinhas são abençoadas e iluminam as nossas vidas. Mas não é só isso não...
Tiago... a seriedade e o coração enorme...
Lucas... coisa mais querida desse mundo... sabe aquela pessoinha que você tem vontade de empalhar e por na estante só pra ver ele ali pertinho todos os dias? É ele!!!
Thiago / Carroça... 220W... sempre de bom humor, sempre a mil pelo Brasil!!!
Rodrigo... essa figurinha vale ouro, é uma comédia
Ronaldinho.... tímido, educado e observador
Cabelo... tímido e simpático
Carlão... é só saber tratar com educação e respeito e aqui está um amigo maravilhoso
Jonas e Japa... super atenciosos, preocupados e prestativos
Tiozinho... a pessoinha mais amada desse mundooooooooo, hehehe


Saudade... linda palavra que só existe na língua portuguesa, de significado único... algo inexplicável, que aperta o coração da gente e faz doer quando estamos longe... Saudade é a melhor definição possível para o que sentimos hoje por nossos BB’s.

Quanto maior a distância e o tempo que não os vemos, maior é a saudade e, ao mesmo tempo, maior se torna a torcida para o sucesso deles. Quando se ama muito alguém, tudo que queremos é a felicidade e o sucesso desse alguém, mesmo que para que isso aconteça, seja longe dos nossos olhos, mas sempre dentro dos nossos corações.

Esse final de semana vai ser cruel. Tínhamos planos de ir para São Paulo... Tínhamos onde ficar compraríamos as passagens no cartão de crédito, tudo certinho... só precisávamos ter um pouco de dinheiro para nos mantermos lá. Batalhamos, mas dessa vez, não conseguimos. Isso nos deixou muito tristes, mas Deus sabe o que faz, não era pra ser dessa vez. Nem sempre tudo é como queremos, não é mesmo? É tão bom chorar de alegria ou de emoção em algum momento do show, alguma música ou algum acontecimento especial quando estamos pertinho deles... Assim como é muito ruim chorar de tristeza por não poder estar presente num momento que planejamos e sonhamos tanto...

Também tivemos uma notícia de uma pessoinha que amamos muito que nos deixou muito preocupadas. Já tivemos notícias de que está bem, mas parece que enquanto não o vermos pessoalmente, vamos continuar angustiadas...

Ao Tchê Garotos: nossos anjos... vocês estão no caminho certo, vão fazer muito sucesso, se Deus quiser, e temos certeza que ele quer... Quanto a nós? Estaremos aqui, pra sempre, na torcida pela vitória de vocês, na arquibancada da vida aplaudindo cada conquista merecida. Sempre que tivermos condições estaremos com vocês e se um dia precisarem da gente, estaremos aqui de braços abertos para o que for preciso.

Nossos corações são de vocês!!! Cuidem bem deles...

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Imbé 11/02/2009




No dia 11 de fevereiro foram ao show do TG: Aline, Cris, Josi, Wal e Sá. Saímos de casa por volta das 17 horas. Queríamos ter ido mais cedo, mas devido ao fato da Cris ter tido uma entrevista de emprego, tivemos que adiar a saída. A viagem foi animada, mas foi tão curtinha que nem deu pra cansar. Fora o fato da Aline ter ido todo o percurso (ou quase, hehe) repetindo a seguinte afirmação: “um cone, outro cone, outro cone, outro cone...” (coragem... que bola). Chegamos lá e estacionamos atrás do ônibus. Logo fomos cumprimentar o pessoal que por ali estava e depois fomos andar na praia. Tínhamos tomado chimarrão na ida e estávamos desesperadas por um WC. Resolvemos comer uns pastéis em um quiosque na beira da praia e por ali ficamos um bom tempo. Quando retornamos ao Jardim da Noite meninas de outros fã clubes já estavam presentes. Ficamos por ali de papo, logo os guris da produção chegaram e foi aquela bagunça. Fomos para o Uno se maquiar. A Aline e a Josi foram primeiro e depois foram a Wal, Sá, Cris, Súh e Tum Tum... Foi um caos... um espelho retrovisor e uma lampadazinha de nada para esse monte de mulheres. Começou a chuva e tivemos que fechar o carro. Depois de prontas, fomos na chuva mesmo para a porta do Jardim da Noite. As portas do clube se abriram e o pessoal começou a entrar. Aguardamos pacientemente nossa vez. Quando entramos, acabamos nos dividindo. Do lado direito do palco ficaram Cris, Sá, Wal e Súh e do lado esquerdo Josi, Aline e Jaque. O palco era baixinho e estávamos muito próximas dos guris. O show foi maravilhoso, até com algumas pequenas mudanças no repertório. Cantamos, dançamos e agitamos muito. A Jaque foi grande parceira na hora do agito. No final, o Sandrinho (o tal integrante como dizem por aí), como sempre, fez um agradecimento especial a todos os fã clubes presentes. O local não tinha camarim e logo saímos para a rua. Ficamos por ali e cumprimentamos em seguida o Sagui, o Gyl e o Markynhus. Nos sentamos num degrau pertinho do ônibus e ficamos de papo com nossos amigos que nem sentimos o tempo passar... Quando menos esperávamos surge o Sandro com várias meninas o perseguindo. Mas quando nos viu, parou e disse: “deixa eu dar um beijo nessas minhas fãs”. Veio nos cumprimentar com muito carinho e com um sorriso sincero que só ele tem. Continuamos ali com a produção e começou a esfriar. Nossa intenção inicial era esperar amanhecer e curtir um pouquinho a praia de manhã pra depois voltar pra casa. Mas o frio pegou e tudo que queríamos era um banho e uma caminha quentinha. Nos despedimos dos guris e voltamos pra casa super felizes porque o show foi maravilhoso, e o carinho e a atenção foram, como sempre, inexplicáveis.
Nada do que façam ou digam por aí vai mudar o que sentimos por essa banda. Isso não significa que dizemos amém pra tudo. Claro que tem situações que acabam nos entristecendo. Que acontecem episódios que também não gostamos. Mas isso não significa que vamos sair jogando na net pra todo mundo ver. Como já dissemos anteriormente, elogia-se em público, mas critica-se individualmente. Eles são perfeitos, mas acima de tudo são seres humanos. Seres humanos passíveis de estarem bem ou não, de estarem a fim de papo ou não, de quererem tirar foto ou não, de estarem bem apesar do calor ou não, de estarem de bom humor ou não. São seres humanos que também vão ao banheiro, também sentem dor de estômago, dor de barriga, dor de dente, dor de cabeça, variações de pressão. São seres humanos que quando estão num show, enquanto nós estamos nos divertindo, estão trabalhando. São seres humanos que também tem problemas, que também sofrem, que também perdem entes queridos e que são obrigados a sorrir, quando às vezes, tem vontade de chorar. São seres humanos que, as vezes, quando se fecham as cortinas, só querem saber de voltar pra casa e ficar na companhia das suas famílias. Temos que nos lembrar de que eles passam muito tempo longe da família e quando tem oportunidade de estarem próximos tem mais é que aproveitar.
Vamos aos shows pra curtir o trabalho deles. Nunca recebemos nenhum informativo do escritório com normas para fã clubes que tenha cláusulas que digam que os guris são obrigados a nos receber, dar beijinho, tirar fotinhos e nos aturar quando não estão dispostos.
Quem aí nunca teve vontade de ficar sozinho? Quem aí nunca teve um dia que não queria ver ninguém? Quem aí não conhece alguém que não suporta muito e não quer nem chegar perto? Quem aí é perfeito? Então que esse alguém atire a primeira pedra!!!

Harmonia 18/01/2009



Saímos de Gravataí em direção a Harmonia por volta das 3 horas da tarde do dia 18 de janeiro. Foram nessa peregrinação Aline, Cris, Dany e Wal. Era mais perto do que imaginávamos. Pra variar, nos perdemos e fomos parar no centro da cidade de Harmonia e de repente encontramos o ônibus do TG. Caímos na risada, pois isso está virando moda. Se marcássemos com eles não daria tão certo. O Carroça quando nos viu, veio na hora e seguimos até o Salão Harmonia com a companhia dele no Uno. O calor estava insuportável... Os guris descarregaram os equipamentos enquanto nós ficamos sentadas na frente tomando chimarrão e refri, e comendo picolé. Claro que não era tudo junto, hehehe. O local era pequeno, mas bem legal. Entramos no clube por volta das 8 horas da noite e ficamos próximo ao palco. Antes do TG uma outra banda animou a festa. Entre o local que estávamos e a pista de dança tinha uma grade onde a Aline ficou encostada. O show do TG começou e estava maravilhoso mas, muito calor. No finzinho do show quase teve uma vídeo cassetada quando a Wal resolveu ir pra perto da Aline. O Viny e o Fê assistiram de camarote e ainda bem que foi só um susto, hehe.
O show terminou e fomos até o camarim. Ficamos bem pouquinho ali, foi só o tempo de dar um beijo nos guris e sair, até porque o espaço era muito pequeno. Saímos dali e voltamos para o salão ficando próximo a mesa de som com os guris da produção enquanto a outra banda retornou ao palco, dando continuidade a festa. Quando encerraram, nos retiramos e ficamos lá fora enquanto os guris desmontavam o equipamento. Imaginávamos que todos os músicos já tinham ido embora mas ficamos por ali porque queríamos nos despedir dos nossos amigos. Quando menos esperávamos, surge de trás do clube o Fê que veio todo feliz conversar conosco. Cantou, brincou, vistoriou os adesivos do Uno, autografou o vidro embaçado e ficou conversando um bom tempo. Logo vieram de lá também o Gyl e o Viny. Todos estavam brincando se íamos pra Goiás também. O Fê se recolheu para o ônibus e os guris da produção terminaram de carregar o equipamento. Enquanto eram resolvidos os últimos detalhes eles ficaram ali conosco cantando e fazendo a maior bagunça. No caminho de volta passaríamos na frente do hotel, então tivemos a companhia inédita de duas pessoinhas. Pobrezinho do Uno... parecia carro de palhaço. As criaturas entraram para o banco de trás pela janela e quase ficaram entalados, hehe. Seguimos o ônibus e paramos no hotel. Trocamos nossos 2 caroneiros especias por um outro caroneiro não menos especial. Nos despedimos de todos desejando boa viagem a Goiás e pegamos a estrada. Tivemos que dar uma paradinha num posto em São Léo para um pit stop e, logo em seguida, deixamos nosso caroneiro e fomos pra casa. Mais uma aventura, dessa vez curtinha, mas não menos importante e especial.

Essa viagem dedicamos ao Carroça, Lucas, Rodrigo, Viny, Gyl e Fê.

Caxias 17/01/2009



Foram para Caxias, a 130 km de casa, no dia 17 de janeiro Cris, Wal, Fran e Dany de Uno. A Aline não foi, pois estava indisposta. Nossa amiga é “meio bruxinha” e seus pressentimentos normalmente se tornam realidade.
Temos um problema sério com Caxias e sempre nos perdemos, mas dessa vez isso não aconteceu. Quando chegamos no pedágio de Caxias do Sul, quem estava ali também? O ônibus do TG. Dali pra frente, já fomos atrás pra não ter risco. O ônibus foi direto para o hotel onde alguns músicos se instalaram e seguiu para o local do show com os meninos da produção.
Chegando lá ficamos por ali com eles enquanto trabalhavam. Em seguida chegou uma van com meninas dos demais fã clubes, e com elas, estava a Denise do Festa. Também se instalaram por ali aguardando a hora do show. Próximo as 9 horas da noite fomos ao banheiro do clube pra trocar de roupa e se maquiar, mas logo chegou o recado dos seguranças da casa que tínhamos 1 minuto pra nos retirarmos. Cumprimos sem stress a ordem e fomos para o Uno terminar a maquiagem. A Jaque e a Súh foram conosco e ficamos um bom tempo conversando. A Wal maquiou a Súh no escuro, essa guria é corajosa, hehe. Rolou um stress muito feio com o Carlão por causa de cortesias e não gostamos muito das atitudes de algumas pessoas que não vêm ao caso. Entramos no clube e ficamos na lateral do palco na frente do Viny. O show foi super legal, curtimos muito na companhia da nossa querida amiga Jaque, e depois fomos super bem recebidas no camarim. A Fran estava deslumbrada, pois era a primeira vez que teria um contato próximo com os músicos. No final, nos despedimos de todos e agradecemos ao Carlão por tudo, como sempre fazemos. Ele é uma pessoa maravilhosa, que está sempre fazendo o que pode pelos fã clubes e somos muito gratas a ele por isso. Voltamos pra casa com gostinho de quero mais!!!

Essa viagem é dedicada ao nosso amigo Carlão, que mora nos nossos corações pela pessoa que é, pela atenção que nos dedica e pela preocupação que sempre tem conosco.

Porto União SC 11/01/2009



No dia 11 de janeiro a mãe das meninas nos chamou ao meio dia para almoçar. O carreteiro estava muito bom e logo depois já fomos nos arrumar, pois tínhamos pela frente 460 km de viagem até Porto União. Nos despedimos das meninas e agradecemos pela hospedagem, pelo carinho e por tudo. Pegamos a estrada as 4 horas da tarde. Passamos pela Serra Dona Francisca que era muito linda, mas cheia de curvas e íngreme. Paramos para tirar algumas fotos e rimos muito pois tinha uma menininha que queria sair em todas as fotos, hehe. Seguimos viagem, paramos novamente em uma padaria para comprar salgados e dar uma ligadinha pra dar notícias as nossas “mamys” que sempre ficam com o coração na mão quando inventamos essas peregrinações, mas já desistiram de nos contrariar, pois sabem que não abrimos mão dos “nossos bebês” por nada nesse mundo. A viagem parecia nunca mais ter fim. Andávamos, andávamos e andávamos e comemos a viagem toda.
Desembocamos na BR 116 e não tínhamos a mínima idéia se dobrávamos para a direita ou esquerda. Ligamos para o nosso GPS Carlão que não nos ajudou muito pois não sabíamos explicar onde estávamos. Ele disse pra pedirmos informação pra alguém ou em algum posto de gasolina. Parece que todo mundo naquele lugar estava escondido pois não havia absolutamente ninguém nas ruas e nem sinal de posto de gasolina. Arriscamos ir para a esquerda, e pela primeira vez demos uma dentro. Em seguida havia uma placa indicando a estrada para Porto União. Essa era super estreita e não tinha acostamento. Quando caiu a noite, começou a chover. No início estava tranqüilo, mas de repente, o mundo desabou. Nossa sorte foi ter um caminhão na frente pelo qual fomos nos guiando pois a visibilidade era terrível. Paramos num posto de gasolina pra trocar de roupa e maquiagem e logo seguimos, ainda enfrentaríamos mais uns 60km. Depois de muito andar, chegamos a Porto União, onde paramos no portal para tirar fotos. Pedimos informação, nos perdemos pra variar, mas logo localizamos o Clube 25 de Julho. Quando chegamos o show já estava começando e o coração bateu mais forte. Entramos no clube, que estava lotado e conseguimos nos aproximar do palco com muita dificuldade. A Aline do nada, ficou muito nervosa e com medo, literalmente em pânico, quando de repente nos vimos no meio de uma briga feia. Saímos para a lateral do palco onde estava mais calmo. Tinha por ali uma menina que parecia que não tomava banho a uns 6 meses porque o odor era terrível. A Wal não agüentou e acabou voltando sozinha para o local mais próximo a frente do palco e a Aline e a Josi continuaram na lateral. No final do show nos unimos novamente e ficamos de papo com o Carroça e com o Rodrigo. Em seguida, fomos com o Tiozinho para o camarim e foi muito legal porque só estavam os guris e nós lá. Ficamos de papo com eles até que outras fãs também tiveram acesso. O Fê estava muito querido, até cantou “Hoje a cobra vai fumar” pra Josi e “Magia” em espanhol pra Wal. Umas gurias se plantaram do lado do Sandro se queixando de terem viajado 3 horas pra vê-los e ele olhou pra elas, olhou pra nós e disse: ”ah... essas aqui viajaram 9 e não estão reclamando...” O carinho e atenção que recebemos deles nesse dia foi maravilhoso. Estavam muito felizes por estarmos ali. O Sandro disse: “gurias, vocês são fo...” Até nos prometeu algo, mas isso nunca, jamais, em tempo algum, mesmo que isso venha ou não se cumprir, ninguém ficará sabendo, hehehe. O Léo e o Fê iriam para Curitiba de ônibus e o Tiozinho foi acompanhá-los. Foi engraçado ver o Sagui e o Sandrinho chamando eles de peregrinos porque iriam pra rodoviária. Aconteceu um episódio muito chato com o Sandrinho nesse dia pela falta de respeito de uma fã e ficamos tão possuídas quanto ele. Logo elas saíram e ficamos com eles ali. O Sandro estava conversando com o Tiago e nós ali curtindo o momento. O Viny saiu com uma que ninguém acreditaria... só podemos dizer a frase dele: “vai lá Sagui, é pro nosso bem! Todos caíram na gargalhada e o Sandro deu uma risada muito gostosa. Ficou até com vergonha do episódio. Eles estavam muito preocupados conosco em relação a viagem de volta. Ficamos lá com eles até o ônibus estar pronto e fomos atrás que era mais seguro.
Levamos um susto quando passamos por uma placa que dizia limite entre Santa Catarina e Paraná. Pensamos que estávamos indo para o lado errado, hehe. Mas estava tudo certo. A primeira parada não demorou pra acontecer num posto de gasolina. Fora o Sandro e o Lucas, todos desceram pra comer, esticar as pernas, etc. Encontramos praticamente o “irmão gêmulo” do Drigo e tiramos altas fotos. Os guris mentiram pra ele que o Drigo era o vocalista da banda e o cara, podre de bêbado, acreditou. Pra incomodar, o Drigo cantava “e se eu bebo” e o gêmulo completava “é POBREMA meu”. Antes de seguir viagem eles ainda perguntaram se estávamos bem e disseram que qualquer coisa era só ligar pra alguém ou dar sinal de luz. O Japa assumiu o volante do “busão” e pegamos a estrada. O dia começou a dar sinais de luz e o cansaço foi pegando. Às 8 horas da manhã foi punk. Todas muito cansadas e com sono. Tentamos ligar pro Tiozinho mas ele não acordou e agüentamos firme até que em Passo Fundo o ônibus parou num posto e só o Carroça desceu. Dissemos pra ele que estávamos muito mal e uma pessoinha muito especial veio nos dar uma força. Tivemos duas companhias de volta pra casa até Canoas. Nosso motorista foi maravilhoso e nosso animador também. Foi tão legal que até o sono passou. A Wal até tentou dormir mas não conseguiu. Chegamos em Gravataí as 2 horas da tarde destruídas após 600km, mas muito felizes com a conclusão de mais uma aventura super bem sucedida. Foram 2050km de percurso total. Mas, como sempre afirmamos, por esses guris tudo vale a pena. Por tudo que passamos com eles, por tudo que eles já nos conhecem e nos respeitam e pelo grande amor, carinho e respeito que também temos por eles, podemos afirmar, de carteirinha, que a frase de um amigo nosso muito especial de outra banda é a pura verdade: “Todo fã tem o ídolo que merece!!!” E os nossos ídolos são as pessoas mais especiais desse mundo. Pode até parecer demagogia, mas nosso amor por eles é inexplicável e aconteça o que acontecer estaremos sempre com eles e os defenderemos com unhas e dentes de quem quer que seja. Quer comprar uma briga feia? Fala mal do Tchê Garotos. Existe um ditado que diz que elogia-se em público e critica-se individualmente. Para um bom entendedor, meias palavras bastam. É uma pena que, provavelmente quem precisaria saber disso, não vai entender a mensagem... Mas fazer o que néh? Tentamos...

Dedicamos essa nossa peregrinação a todos os meninos do TG e sua produção, mas especialmente aos nossos amigos Rodrigo e Carroça.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Içara SC – 10/01/2009




No dia 10 de janeiro, acordamos por volta das 11 horas da manhã com a chegada dos pais das meninas na casa. Levantamos e ficamos conversando com eles. O pai delas fez um churrasco no capricho e almoçamos. Claro que antes tomamos um belo mate. Logo depois resolvemos ir dar uma caminhada na praia que não foi bem uma caminhadinha, hehe. Foram quase 8 km. Andamos da praia do Sonho até a praia da Pinheira, lá tomamos um sorvete e voltamos. Foram 2 horas pra ir e uma hora e meia pra voltar. Na ida fomos observando alguns mariscos e siris e juntando algumas conchinhas. A Aline tinha medo e nojo principalmente quando pegávamos e saíamos atrás dela, mas segundo a própria, era apenas respeito, hehe. Não agüentávamos mais caminhar e a Pimentinha resolveu correr... Correu um quilometro por um vídeo que no final das contas não foi feito. A Josi não quis ir caminhar e ficou sentada na beira da praia e acabou encarangando e voltou pra casa sozinha e foi dormir.
Chegamos na casa e logo fomos tomar banho e começamos a nos arrumar. Nesse momento bateu um pavor. Os pais das meninas não haviam deixado elas irem no show e a deprê bateu... A Pimentinha chorava, a Mily tentava reverter a situação com os pais e a Aline e a Wal ficavam se olhando sem ânimo de se arrumarem enquanto a Josi tomava banho.
Começamos a fazer chapinha (“piaxtra” segundo as catarinas) e a Pimentinha não conseguia segurar as lágrimas. Até que finalmente a Mily conseguiu a liberação dos pais. Ficamos todas muito felizes com a notícia e fomos nos arrumarmos com vontade.
Na ida paramos num mercadinho pra comprar coca e chocolate preto e branco, hehe. Pegamos a BR 101 em direção a Içara. Começou a chover muito forte e continuou assim quase a viagem toda. Foram 160 km até a Praia do Rincão. Logo na entrada da cidade pedimos informação num posto de gasolina e claro, que pra não perder o hábito, nos perdemos. Mas logo nos achamos e chegamos ao Arena Show. Esse foi o show de estréia do novo Fezinho (mascotinho do Festa). O show era num local aberto e com areia. Não estávamos a par desses detalhes e fomos de salto. Foi punk atolando na areia todo o show. Sem contar a chuva, que desabou logo no início acabando com nossa chapinhas e batizando o Fezinho. A Aline e a Josi passaram o show inteiro dando risada, vai saber por quê... No final do show tinham câimbras nas bochechas, hehe.
Fomos para o camarim e foi algo. O Fê atentou que iria roubar o novo Fezinho. Também estava pedindo dinheiro pra todo mundo pra pagar o conserto da sua Ferrari. A Aline até se dispôs a dar um pequeno cheque de R$200.000,00 ( pra quem tem problemas com números, lê-se: duzentos mil reais, hehehe) e ele disse que achava que dava. O Léo também estava com a corda toda nesse dia e até quis tirar foto com o Fezinho fazendo caras e bocas. Tinha uma moça podre de bêbada no camarim, mal parava em pé e se encarnou no Viny. Os guris ficaram apavorados com o estado da moça, mas claro que não perderam a oportunidade de incomodá-lo. Até tentamos dar uma mãozinha pra ele dizendo que a namorada dele estava lá e era “muuuuuuuuito” brava. Logo ela desencanou e foi embora. Estávamos todos bem belos no camarim quando ouvimos um estouro e, em efeito dominó, todos começaram o tossir. Ninguém estava entendendo nada e saímos do camarim ficando lá somente o Carlão explicando pra Wal como se chegava em Porto União, mas claro que ela não entendia nada porque só tossia. O Fê só gritava: “respirem só pelo nariz”. Logo chegou a informação que tinham jogado para dentro do camarim um gás de pimenta que foi o causador de todo o tumulto. O Léo ficou indignado com o acontecido, pois todos os músicos estavam também no camarim num momento de descontração e foi falar com o chefe da segurança.
Ainda ficamos por ali com eles mais um bom tempo. Depois que os músicos se retiraram, chegaram nossos amigos da produção porque já haviam concluído seus trabalhos. Ficamos por ali conversando até umas 5 horas da manhã. A viagem de volta foi difícil, pois estávamos muito cansadas e com sono. Chegamos na casa, e a mãe das meninas tinha deixado as camas prontinhas. A Wal desmaiou e a Aline ainda conseguiu a peripécia de bater a cabeça no armário e a Pimentinha quase teve um ataque de tanto rir. Logo todas desmaiaram também.

Porto Belo SC – 09/01/2009


Começamos 2009 com o pé praticamente na estrada. Dessa vez foi bem mais tranqüilo pois fomos convidadas pelas catarinas Éverlin (Pimentinha) e Hemilyn (Mily) pra ficar na casa delas.
O primeiro show era dia 09 de janeiro e o combinado era sairmos de Gravataí de madrugada, mas o tempo nos assustou... começou a chover e ficamos com medo de inundação em Santa Catarina, pois recentemente tinham liberado a BR 101 em Içara que estava interrompida por causa das chuvas. Mas, por sorte, durante a madrugada a chuva cedeu e pegamos a estrada às 6 horas da manhã. Tocamos quase que direto os 440 km, paramos apenas para ir ao banheiro. Chegamos na casa das catarinas em Santo Amaro da Imperatriz exatamente ao meio dia. Fomos super bem recebidas por toda a família. Almoçamos, conversamos um pouco, e logo fomos com as meninas para a praia do Sonho, em Palhoça, mais 40 km, onde ficaríamos durante o final de semana. No trajeto já iniciamos as catarinas no chimarrão, hehe. Elas falam totalmente chiado e cantado e rimos bastante com elas, que também diziam que nós, gaúchas, que falávamos engraçado. Pra chegar na casa, tinha uma ponte de madeira daquela... A gritaria alvoroçou todos os veranistas, hehe. Depois descobrimos um caminho sem ponte, o que nos deixou 100% mais tranqüilas e felizes. Mal chegamos na casa e logo já fomos pra praia. Claro que o tempo tinha que mudar... Enquanto estávamos sentadas na beira da praia, armou-se um temporal e tivemos que voltar pra casa. Tomamos banho, nos arrumamos, fizemos a famosa chapinha nos cabelos, que as catarinas chamam de “piaxtra”, hsaushuahsuhauhsua. Não foi mole, cinco mulheres se arrumando em 2 espelhos, hehe. Por volta das 21 horas saímos em direção a Porto Belo a 95 km de onde estávamos. Pegamos chuva na estrada e chegamos no Porto Belo Master Hall por volta das 23 horas. Quando entramos no clube já havia bastante gente e ficamos a umas cinco filas do palco, mas conseguíamos ver tudo e os guris nos viram também. Já nem se surpreendem mais em nos ver por SC. Nesse dia conhecemos a Dany e a Juuh, que são bem legais e fizeram a festa conosco. Depois do show, fomos ao camarim e o Markynhos perguntou se estávamos de férias e se tínhamos ficado direto em SC desde o show de São José, hehe. O Sandrinho disse que queria férias assim e explicamos que tínhamos voltado pra casa no intervalo dos shows, hehe. O Sagüi queria saber onde trabalhávamos e se tinha vaga pra ele... Ser professor, segundo a Wal e a Josi, tem suas vantagens... uma delas é as férias prolongadas!!! Ainda trovamos um tempo com os guris da produção e voltamos pra Praia do Sonho, mais 95 km. Pegamos chuva novamente na estrada. Chegamos eram 6 horas da manhã e fomos dormir.

São José SC – 22/12/2008


Dormimos até as 9 horas do dia 22 de Dezembro, plena segunda feira, e fomos tomar café da manhã no hotel. Resolvemos ir a Florianópolis passear um pouco e ir a alguma praia. Os donos do hotel eram um casal de senhores muito simpático. Fomos até a cozinha pedir água quente e perguntaram se éramos gaúchas, hehe... dissemos que sim e aproveitamos pra pedir uma boa dica de praia. Eles disseram pra não irmos para o lado norte da ilha pois havia chovido muito e tinham vários trechos interrompidos na estrada. Seguimos o conselho dele e fomos para o sul da ilha. Paramos em alguns lugares, tiramos fotos e fomos até a praia da Armação. Mal chegamos lá e começou a chover... andamos um pouco por lá assim mesmo... Quando estávamos voltando, o tempo mudou e abriu sol pra nossa indignação. Mas não fazia mal... nosso objetivo em Santa Catarina estava longe de ser voltar pra casa bronzeada. Nosso objetivo era estar com o TG e isso estava dando perfeitamente certo. Voltamos para o hotel, descansamos um pouco, nos arrumamos e fomos para o Maré Alta. O baile era da 3ª idade e o clube abriu cedo da tarde. Chegamos lá por volta das 18 horas, falamos com o Carlão e com os demais meninos da produção que estavam na frente do clube. Deixamos o carro no estacionamento e fomos procurar um restaurante pra jantar. Encontramos um bem próximo e a comida estava maravilhosa... Às 20 horas voltamos para o clube e sentamos nuns banquinhos na frente... rimos bastante por ali inclusive de um Papai Noel maxixeiro que tinha na porta, hehehe ( um boneco grande daqueles que rebolam). Entramos no clube e fomos pra perto do palco. Rimos muito com o Bruno e o Carroça, que estavam tirando fotos de duas “meninas lindas” que dançavam por ali, o modelito delas então, era de causar inveja, hsaushuahsuhauhsuahushuahsua. Logo a Éverlin, a Hemilyn e mais algumas amigas delas do Cara-a-cara chegaram e ficaram por perto. Conhecemos pessoalmente também a Ariadne, muito simpática, querida e atenciosa.
O show começou e de todos os 4 do findi, com certeza, foi o mais divertido... sem contar o episódio da champagne, hehe. No final do show o Sandrinho fez um agradecimento especial aos fã clubes presentes e em especial a nós que tínhamos feito um tour por SC com eles e ficamos muito felizes e emocionadas. São nesses momentos que percebemos que tudo vale a pena... No encerramento o Fê pediu o Fezinho e a Wal jogou pra ele, certa de que ele devolveria depois. As cortinas se fecharam e fomos para a porta do camarim.
Logo entramos e fomos super bem recebidas. O carinho dos guris conosco foi maravilhoso como sempre... a Wal viu o Fezinho dando sopa em cima de uma mesa e rapidamente o pegou. Quando o Fê viu já veio dizendo “quem te deixou pegar? Agora ele é meu! A Wal disse que não e ele pegou e disse que sim... ficaram um tempo naquela função ali... o Fê disse que cuidaria bem dele e ela acabou deixando ele levar. O Fê ainda disse que quer o Fezão... Ela argumentou que o Festa ficaria sem mascote e o Fê disse: “ah, tu faz outro!”
Depois do camarim tivemos um momento único, inexplicável, incomparável e inesquecível... Só podemos dizer que essa banda mora nos nossos corações, que o nosso amor por eles é inabalável e a cada dia que passa, se torna maior. Somos capazes de tudo, ou quase tudo por eles. Estaremos sempre ao lado deles e os defenderemos com unhas e dentes de quem quer que seja.
Voltamos para o hotel irradiando alegria... Dormimos até as 6 da manhã, fechamos a conta e voltamos para casa... Foram 440 km de viagem com gostinho de quero mais.
Esse final de semana totalizamos em torno de 1400km, mas nada disso importa... O que importa são os momentos inesquecíveis que tivemos ao lado dos nossos amores!!!

Tijucas SC – 21/12/2008


Nesse dia, 21 de Dezembro, acordamos ao meio dia, comemos alguma coisa e fomos passear. Fomos parar em um lugar chamado Balneário de São Miguel em Biguaçú. A intenção era só andar um pouco, tomar um sol e se divertir... e isso conseguimos. Andamos até as pedras e lá subimos pois tinham lugares bem legais com sombra pra Aline que odeia sol, hehe. Nos instalamos por ali e ficamos apreciando a linda paisagem. Claro que pra chegar lá não foi fácil, a Josi estava morrendo de medo de escorregar e a Aline subiu praticamente rebocando-a. A Wal subiu tranquilamente, diz a Aline que ela parecia ter nascido escalando pedras, kkk. Ficamos por ali umas 2 horas e tiramos algumas fotos. De repente um barulho:... segundo a Aline era um jacaré enorrrrrrrrrrrrrrrrme e de olhos gigantescos, mas diz a Wal que era apenas um lagartinho pequeno e que jamais atacaria, a menos que se sentisse ameaçado, hehehe. Mas pra descargo de consciência, fomos embora... e a Josi até que foi rápida pra descer, acho que de medo do super jacaré, hehehe.
De volta ao hotel fomos nos arrumar porque o show de Tijucas era longinho e difícil de encontrar. No dia anterior os guris já haviam nos precavido que enfrentaríamos um bom trecho de estrada de chão batido, então queríamos chegar lá com luz do dia ainda. Foram 40km de BR101 mais uns 15 de chão batido, no mínimo...
Em Tijucas pedimos informação a um pedestre e ele nos disse pra ir reto numa rua lateral, disse que era bem longe... mas que achava melhor nós irmos para Floripa, que teríamos mais opções de festas... Afff... sem comentários...Queríamos era chegar no Rancho Rural...
Bom, pelo nome do local dá pra perceber néh? Uma estrada, a princípio, deserta... Ninguém na rua sequer pra pedirmos informações para termos certeza de estar no caminho certo... apenas vaquinhas... de todas as cores, hehe... tentamos perguntar, mas elas nos esnobaram, ahsuahsuhauhsuahushau...
Depois de um bom trecho de chão, começamos a encontrar alguns carros sempre na mesma direção e suspeitamos que estavam todos indo para o mesmo lugar... ficamos mais tranqüilas. Quando, de repente, uma ponte de madeira completamente punk... daquelas que só passa um carro e tem que por as rodas em cima das únicas duas ripas de madeira... o pavor bateu...Nossa motora Wal tem pânico de ponte... depois de algum tempo criando coragem, encaixou o carro e acelerou... todas gritaram desesperadamente até concluir a travessia.
Finalmente chegamos ao Rancho Rural que tinha 2 estacionamentos e o primeiro já estava lotado. Adivinhem se não fomos o primeiro carro a ter que ir para o segundo? Estacionamos e descemos do carro em direção ao rancho. Só que o único acesso era uma pontezinha de madeira terrível, pior que a que passamos de carro, e agora tinha que ser a pé... A Aline foi na frente, a Wal no meio e a Josi em seguida... no meio da ponte bateu o pavor... a Wal empacou e a Aline se mandou. Nesse instante uns malucos entraram na ponte e quando viram que estávamos em pânico começaram a pular. Conseguimos concluir a travessia mas o coração quase saiu pela boca e as pernas tremiam muito. Entramos no clube e ficamos por ali dançando e aloprando com os guris da produção. Nesse dia conhecemos a Éverlin e a Hemilyn. O rancho lotou de gente e era quase impossível chegar na copa para comprar água. A Josi e a Wal ficaram bem na frente nesse show, e a Aline mais atrás. O show foi super animado e todo mundo cantou e dançou ao som do TG. No final, saímos de dentro do clube porque estava muito quente. Até achamos que os guris já tinham ido embora, quando aparece o Fê se queixando de estar mal de tão quente. Ficamos por ali com ele conversando quando vêm o Sandrinho lá de dentro dizendo: “báh gurias, hoje eu tava preocupado com vocês, esse lugar é longe e vocês não conheciam”. Tem coisa mais amada? Os demais músicos também saíram e ficaram por ali conversando. Quando a van chegou para levá-los, resolvemos ir embora também. E lá veio o pavor novamente, ter que atravessar as duas pontes. Claro que aos gritos, mas atravessamos. Na estrada, ainda um acidente... um carro caiu em um valo causou um engarrafamento. Chegamos no hotel por volta das 5 da manhã e capotamos...

Garopaba SC – 20/12/2008


Na manhã do dia 20 de Dezembro, por volta das 10 horas fechamos a conta no hotel e seguimos viagem. Em Camboriú fizemos uma parada no shopping. Estava muito linda a decoração de natal e tiramos algumas fotos por lá. A Josi queria comprar uma blusa ou um vestido, mas não achou nada como queria. Compramos uma coca e um chocolate, nosso energético, hehe e voltamos pra estrada. A intenção era encontrar um hotel em São José, a 90 km de Itajaí, pois nos próximos dias haveria 2 shows naquela região. Encontramos um hotel bem legal e nos instalamos em torno das 15 horas. Descansamos bastante, depois nos arrumamos e fomos para Garopaba a 62 km do hotel. Contrariando tudo que os meninos da produção tinham nos dito. Eles alegaram que Garopaba era muito longe e que não deveríamos ir. Que deveríamos ficar na praia e ir só no outro dia.O trajeto foi divertido como sempre e logo chegamos ao Mistério Café. A casa estava lotada e conseguimos ficar numa lateral próximo ao palco. A Wal reclamou bastante porque é baixinha e não enxergava direito. Houve um episódio que fez a Aline e a Josi rirem praticamente o show inteiro e se arriarem até hoje na Wal. Na nossa frente tinham umas meninas e uma amiga chegou por trás, deu um puxão no cabelo de uma e fugiu. A guria virou pra trás indignada e achou que tinha sido a Wal, ahsuhuahsuhauhsua...tinham quer ver a cara da Wal nessa hora... Ela só indicou que não e apontou na direção que a guria tinha ido. O show foi um sucesso e no final, fomos ao camarim que estava muito divertido. Alguém arranhou alguém nesse dia, mas prefiro não comentar, hehehe. Ficamos por ali um bom tempo trovando e a Aline fez praticamente uma declaração de amor pro Sagüi que ele quase morreu de vergonha... uahsuahsuhas. Os guris estavam todos por ali e depois foram para o ônibus descansar. Nós nos despedimos e voltamos para o nosso hotel em São José. Chegamos no hotel já de manhã. A Wal e a Josi foram tomar café e depois dormir. A Aline foi direto pra caminha...

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Itajaí SC – 19/12/2008


Depois de Canoas bateu o pavor.... e agora? Tchê Garotos só ano que vem? Não dá, não vamos aguentar... O que faremos? E veio a idéia!!! Que tal um tour por Santa Catarina? Vamos viajar, nos divertir, conhecer novos lugares, e claro, pra completar, ver TG em dose quádrupla, hehe. E aí? Quem vai de Uno vamo? Claro que sim, foram nessa aventura Josi, Wal e Aline. O primeiro show foi em Itajaí, a aproximadamente 530 km de Gravataí. A preocupação era grande com o tempo, pois recentemente havia acontecido a inundação em SC. Saímos de casa por volta das 6 horas da manhã do dia 19 de Dezembro. A viagem foi longa, fizemos algumas paradas para espichar as pernas e descansar um pouco. Pela estrada avistamos paisagens lindas e tiramos muitas fotos. Chegamos a Itajaí totalmente sem rumo. Não sabíamos onde era o clube nem onde iríamos ficar, mas como já diz o ditado: “quem tem boca vai a Roma!” Pedimos informações para várias pessoas (não sabemos bem porque, se nós que não entendíamos ou se elas não sabiam explicar, hehe), e conseguimos com muito custo encontrar o local do show por volta das 3 horas da tarde.
Logo em seguida fomos procurar um local pra ficar e nos indicaram um hotelzinho na rua de trás. Fomos até lá e nos instalamos. Era tudo bem simples, mas organizado, limpinho e fomos bem recebidas. Ao entrarmos no quarto levamos um susto, pois tinha nas paredes a marca de onde a água tinha atingido... praticamente 1,40m de altura. Os donos nos contaram que tiveram que substituir todas as portas, pois estragou tudo com a enchente. A sorte deles é que as camas e armários são tudo de concreto e os estrados e colchões eles tiveram tempo de retirar dos quartos do andar de baixo.
Deixamos as malas no hotel e voltamos lá no clube, dessa vez entramos e ficamos paradas na porta pra ver a reação dos guris que estavam por lá. Quem nos avistou foi o Jonas... colocou as mãos na cabeça e disse “vocês são loooooooooucas”...Depois o restante da galera da produção que estava por ali nos viu e também se apavoraram. Ficamos por ali um tempo de papo com eles até que, de repente, a Josi deu falta do celular e achou que tinha deixado ele no murinho do estacionamento do hotel. Voltamos correndo e, garças a Deus, o celular não estava no murinho, tinha ficado dentro do carro. Fomos para o quarto, descansamos um pouco, fizemos as unhas, assistimos TV, nos arrumamos e fomos procurar um restaurante pra jantarmos. Por mera coincidência, encontramos no restaurante toda galera da produção, hehe. Jantamos por ali com eles e fomos direto para o local do show.
Antes do show começar ficamos por lá dançando e aloprando. O pessoal lá dança diferente... E ficavam olhando pra gente como se fossemos E.T.s, hehehe. A essa altura toda produção já sabia que estávamos lá, mas os músicos não. Então resolvemos fazer surpresa. Não estávamos na frente como de costume (exceto Aline...hehehe) quando as cortinas se abriram. Estávamos lá atrás da mesa de som. Os guris tocaram a abertura e em seguida, vamos fazer festa. Nesse momento, erguemos o Fezinho e fomos andando em direção ao palco pelo meio do salão. O Sandro estava cantando “ joga as mãos pra cima, tristeza não interessa, va...” e parou quando nos viu. Cutucou o Markynhos e o Léo e fez sinal com a mão que éramos loucas, hehe. Continuou cantando e nos aproximamos do palco e curtimos o show. Na hora dos agradecimentos foi emocionante quando ele agradeceu aos fã clubes que tinham vindo lá de Porto Alegre pra prestigiar o TG. O camarim foi uma alegria só. Fomos super bem recebidas e eles queriam saber de tudo, como foi a viagem, onde estávamos hospedadas, se precisávamos de alguma coisa... uns fofos!!! Logo em seguida eles foram pra van e nós voltamos para o hotel. Tínhamos que dormir um pouquinho e seguir viagem no outro dia.

Canoas – 13/12/2008


Desde Agosto de 2008, esse foi o único show do TG que Tchê Aprochega e Vamos Fazer Festa foram separados, e, por mais incrível que pareça, nem se viram no Clube Tradição. As gurias do Tchê Aprochega, Márcia, Aline, Camila e Carol chegaram quase na hora do show, e assim que a cortinas se fecharam, foram embora... Curtiram o show e adoraram, mas imaginaram que seria muito complicado chegar perto deles e nem quiseram arriscar.
Mas o Vamos Fazer Festa tem história pra contar... Estavam presentes Fran, Cris, Lú (Lucilene), Wal e Dany e ainda o Alex, namorado da Cris, e o Bruno, irmão da Fran. Chegamos ao Clube por volta das 18 horas. Ficamos por ali, de papo, e o tempo foi passando... Quando o salão abriu, logo entramos e nos posicionamos do nosso ladinho do palco... na frente do Fê. Logo em seguida chegou a Lúh e ficou ali com o grupo. Quase na hora do show começar, os seguranças do clube se posicionaram entre o palco e a corda com caras amarradas e de poucos amigos... Foi às cortinas se abrirem para eles começarem a complicar. Estávamos tranquilas, em nenhum momento forçamos a corda ou os desrespeitamos, mas assim mesmo, vinham por cima, empurravam pra trás e nos agrediam verbalmente... Um, em particular, ficou bem na nossa frente, e fez o que podia pra complicar nossa vida. Foi difícil aguentar, mas pra ver nossos amores, somos capazes de suportar esses desaforos. No final do show do TG, achamos que todos os fã clubes teriam acesso ao camarim, como normalmente acontece, e realmente, essa era a intenção. Mas o pessoal da organização da casa complicou. Para ter acesso ao camarim, tinha que passar por cima do palco e a outra banda já tinha começado a tocar... ficaria chato, não tiro a razão deles... Então, tentamos acesso pelo outro lado, que, pra piorar, tinha que passar por dentro da copa, totalmente fora dos padrões de higiene de qualquer local. Formou-se um clima pesado entre fãs, produção do TG e seguranças da casa. O pessoal da produção autorizou a passagem, os seguranças não e as fãs ficaram no meio sem saber o que iria acontecer. Nesse meio tempo, a Fran precisou ir embora porque os pais chegaram pra buscá-la e a Lúh acabou entrando no camarim com uma amiga que tinha acesso. A Dany se afastou pra assistir o show da outra banda e a Cris, Lú e Wal ficaram ali. De repente surge alguém da produção do TG de lá e autoriza essas três a passarem e o segurança não queria deixar... foi um empurra empurra cruel, as gurias ficaram super nervosas com a situação. Entraram no camarim e quando viram os guris, o coração bateu mais forte... a Wal até chorou e eles ficaram apavorados, pois não esperavam dela aquela atitude. Foi relatado pra eles o motivo e o fato de terem sido tratadas pior que cachorros, até porque, nenhum cachorro merecia aquele tratamento... O susto passou e as palavras dos guris foram aconchegantes. Elas curtiram ficar com eles ali no camarim um tempinho e depois saíram e ficaram na lateral do palco com os amigos da produção. Foram embora chateadas com a situação, e ao mesmo tempo felizes por terem visto os guris e por saberem que nada do que aconteceu tinha a ver com eles ou com a produção deles.

Capão da Canoa – 10/12/2008


O show do TG em Capão foi dia 12 de Dezembro, aproximadamente 114km de Gravataí, pouco mais de uma hora de carro. Foram nesse dia Aline, Wal, Denise, Cris e Alex. A Wal estava ser carteira de motorista por motivos que não vem ao caso, e o Alex foi nosso motora nesse dia. A ida foi normal, às vezes ele correu demais, mas falávamos e ele dava uma segurada. Foi maravilhoso quando saímos da BR 290... Pois daí tinham muitos pardais e ele foi obrigado a andar a menos de 80. Fizemos uma parada numa tenda pra comprar alguns comes e rimos bastante por lá com o artesanato. Depois seguimos pra Capão. Chegamos lá, vimos o pessoal da produção e fomos passear no shopping e depois na praia... Nossa tarde foi super divertida, tiramos muitas fotos na praia, escrevemos na areia e até fotinho no meio da rua estilo The Beatles tiramos. Próximo ás 21 horas fomos trocar de roupa e se arrumar para o show no banheiro de uma galeria ali perto. O show foi legal, tinha bastante gente e nos divertimos bastante, rolou até um “showzinho” a parte de mágica onde deixou a Aline bem curiosa e afim de descobrir o segredo...uahsuahaus. No final fomos no camarim e recebemos o carinho do nossos amores. Foi muito legal ouvir do Sandrinho depois de nos abraçar “agora posso ir embora feliz”. Falamos com todos e depois fomos embora. A volta foi punk... voltamos pela 101 e a estrada não está boa... o Alex abusou da sorte e correu muito, nos deixando super nervosas. Mas graças a Deus chegamos em casa com segurança.

Universo Alegria – 30/11/08


Esse dia tem história pra contar... Compareceram Sá e Cris na pista e chegaram lá bem na hora do show do TG e também Márcia, Aline, Wal, Dany, Fran, Marina, Talita e Nany na área vip, que chegaram lá antes das 8 da manhã. Detalhezinho básico... a Wal, a Aline e a Dany tinham ido na noite anterior no Clube Farrapos num baile e só chegaram em casa, tomaram um banho, comeram algo e foram pra Sapucaia (Wal e Dany; Aline e Márcia chegaram mais tarde). Ficamos na fila antes de abrir até as 10 horas. Quando abriu as portas aconteceu uma coisa muito mal organizada. Não tinha sido divulgado para o público que não poderia entrar com alimentos e foram revistando as mochilas e jogando os alimentos no chão. Puxa vida, na mesma época que aconteceu aquela enchente em SC, com tanta gente passando fome e eles ali, jogando comida fora, um pecado....
Entramos após toda a confusão e ficamos bem na frente. Conseguimos prender a nossa faixa na grade e ficou bem legal.
No início estava muito calor e o sol estava nos judiando... Mas fomos bem “armadas” de protetor solar e boné... Assistimos o espetáculo Tholl e o Brilha Som... de repente o tempo nublou... Para refrescar a galera, dois caminhões de bombeiros espirravam água. O Tholl era lindo, mas muito extenso, se tornou cansativo... O Brilha Som foi bem legal. Depois teve Tchê Barbaridade, afff... e, em seguida a melhor parte, hehe, Tchê Garotos!!! Foi muito legal, o áudio deles foi, com certeza o melhor de todos e no palco, apesar de estarem um pouquinho nervosos, mandaram ver como sempre. O Fê agitou e fez a maior bagunça com a gente. Amamos.... Claro que no meio do show do TG começou a chover muito, mas não dá nada, por eles tudo vale a pena... Depois deles veio o Tradição, com muita chuva, hehe. Mas o show foi super legal, pulamos muito pra não ficar com frio. Foi muito legal ver eles elogiando o trabalho do TG pois viram a nossa faixa ali na grade. Em seguida, no outro palco, Zezé de Camargo e Luciano... nada contra a dupla, mas o áudio deles para quem estava ali na frente estava terrível, não conseguíamos entender as músicas, só lá pelo refrão... a essa altura do campeonato o cansaço já estava batendo... a Dany ainda teve energia de agitar um pouco com eles... No final, Victor e Léo... muito queridos, adoramos o show deles também, Dany e Aline que o digam... hehehe. No final, mal conseguíamos ficar de pé... Também néh, dezesseis horas de pé é pra matar... mas estávamos lá, firmes e fortes... queríamos muito ver Victor e Léo... mas estávamos lá, principalmente pra ver os nossos grandes e eternos amores: TCHÊ GAROTOS!!!
Ah, já ia esquecendo... nesse dia não entramos em nenhum camarim, não chegamos pertinho de nenhum dos integrantes da banda. As únicas pessoas que vieram ali na grade nos cumprimentar foram o Tiozinho e o Tiago ... Mas a sensação e a felicidade que tivemos em vê-los no palco foi maior que tudo que alguém possa imaginar...

Bento Gonçalves – 15/11/2008


Esse show foi pertinho... apenas 150 km de casa, 3 horinhas de viagem... Foram Aline, Márcia, Cris, Wal e Dany... claro que de Uno!!! Saímos daqui por volta das 16:30 e chegamos lá umas 19:30.
Um grupo de meninas dos outros F.C.s do TG tinham ido de van e já estavam lá quando chegamos. Inclusive, com elas, estava uma integrante do Festa...
Chegamos, cumprimentamos o pessoal e a produ e logo demos por falta de uma pessoinha... Ficamos chateadas em não ver nosso amigo por lá e fomos perguntar por ele para o Rodrigo. Ele nos contou que ele tinha passado mal e tinha sido levado para o hospital e faria uma cirurgia para retirar o apêndice que havia estourado. Ficamos super preocupadas som a saúde dele... E claro que o show sem ele não seria a mesma coisa.
Ficamos sentadas trovando em umas mesinhas no fundo do salão até uma banda abrir o show. Algumas de nós ainda ficaram por ali e outras foram pra perto do palco. Logo depois chegou a hora de ver as cortinas se abrirem e ouvir a famoso bordão? Nossa galera ta aí??????? Claro que sim, estávamos lá e fizemos a festa... Durante todo o show, mas TODO mesmo, desde a banda inicial ate o final do TG, tinha um senhor super empolgado dançando o tempo todo a mesma coreografia. Foi muito divertido, o Tiozinho , o Fê e até algumas meninas imitaram e dançaram com ele, hehehe. No final, apesar do camarim ser super pequeno e de ter muita gente, os guris ainda deram atenção e tiraram milhares de fotinhos com as fãs. Logo foram embora e nós também nos despedimos e voltamos pra casa.

Santa Rosa - 31/10/2008


Vocês acharam longas as nossas peregrinações anteriores? Hehe. Não viram nada ainda. Santa Rosa fica a aproximadamente 530 km de Gravataí, foram 9 horas de viagem diretoooooooo, sem parar. Aquele dia, mais precisamente, 31 de Outubro de 2008, parecia que tinha algo conspirando contra a gente. Na parte da manhã uma da nossas peregrinas, a Aline teve uma entrevista de emprego(no qual ainda dispensou) e ficou presa lá em Porto Alegre até o meio dia. Como se não bastasse, uma peça por onde passa a água do uno estragou e tivemos que ir parar em uma oficina. Por um momento, o sonho de ir a Santa Rosa virou um pesadelo... Achamos que não conseguiríamos.... Mas finalmente, o carro ficou pronto e a Aline liberada. Pegamos a estrada ao meio dia e chagamos na terra da Xuxa as 21 horas. Foi muito cansativo, mas pelo TG, tudo vale a pena. Na chegada paramos em um posto pra pelo menos passar um água no rosto, trocar de roupa e maquiagem e já seguimos para o local do show. Quando entramos já tinha gente no local, mas ficamos na 2ª fileira. Ah, já ia esquecendo, nesse dia estavam presentes Cris, Dany, Aline e Wal.
Logo vimos os nossos queridos amigos da produ que já se aproximaram e ficaram de papo conosco. O show foi muito especial. Foi a primeira vez que o Fê cantou Bala de Prata e foi espetacular, impressionante, divino, maravilhoso e inesquecível... todas nós babamos... Outro fato que nos marcou demais foi ver nosso pequeno,o Sandrinho no palco de muletas e com o pé imobilizado e assim mesmo agitando a galera e pulando num pé só, aquilo pra nós foi o máximos pois só nos deu mais certeza do profissional que ele é. O show acabou e fomos pra famosa fila do camarim. Tinha um pódio lá e tiramos fotos e nos divertimos muito. Um dos meninos da produ resolveu fazer um pezinho com uma de nós e tropeçaram no fio... hehe... deu apagão geral no camarim... mas foi jogo rápido e logo tudo estava resolvido. Entramos no camarim que era super espaçoso, tinham sofás e cadeiras e por ali nos abancamos. Falamos com o Sandrinho e ele com um pouco de dor depois de ter agitado e botado pra quebrar mesmo machucado e ter atendido todos os fãs foi para o busão descansar, quando ia saindo nos falou “não sou eu”, foi de cortar os nossos corações. Alguns dos guris logo foram embora, mas o Gyl e o Fê ficaram por ali. Mais uma vez o Fê resolveu contar a história que teve uma namorada chamada Valdirene que era muito bonita, mas muito chata e não sei mais o que, e começou a chamar a Wal de Walderene, pois estava na terra do “E”, ahsuahushua. Desde lá todos a chamam assim, as amigas, os guris... e quanto menos ela gosta, mais chamamos. Foi nesse dia também que o Fê fez ceninha de ciúmes pra Wal e pra Dany dizendo que o caso dele com a Aline é antigo... Depois de muitos mimos no camarim, chegou a hora de ir embora e pra não perder o hábito, fomos atrás do buzão. O Japa muito preocupado, nos deu várias dicas e chegou a fazer duas paradas pra falar conosco.
A volta foi tranqüila e a nossa aventura concluída com sucesso. Esse dia teve um gostinho diferente, mais do que especial, e ficará pra sempre em nossos corações.